Definindo o padrão para as melhores práticas de PVC

Os produtos da Interface atendem às melhores práticas de manuseio de PVC da Green Star

Desde que foi aclamado como um material milagroso após a Segunda Guerra Mundial até ser chamado de "The Poison Plastic" pelo Greenpeace nos anos 80, a percepção do plástico PVC tem mudado ao longo das décadas. Em 2006, o Living Building Challenge adicionou o PVC à sua Lista Vermelha. Apesar desses esforços, o PVC continua sendo o terceiro plástico mais utilizado no mundo e é um pilar da indústria de produtos de construção. Em parte, devido as críticas de ONGs, a produção e gerenciamento do PVC tem mudado muito ao longo dos anos, o que criou a necessidade de uma distinção entre as diferentes práticas utilizadas para fabricar o PVC nos produtos de hoje.

As preocupações sobre os impactos dos produtos de construção de PVC no meio ambiente e na saúde levaram ao desenvolvimento de melhores práticas de manuseio de PVC pela Green Building Council na Austrália (o equivalente local do US Green Building Council) sob seu Programa Green Star (LEED da Austrália). O programa "avalia o projeto sustentável, a construção e a operação de edifícios, finalizações e comunidades". Um crédito pode ser obtido através da Green Star quando os produtos de PVC utilizados estiverem em conformidade com as melhores práticas.

Green Star logo

O GBCA realizou uma revisão exaustiva de todas as preocupações relacionadas ao PVC identificadas por muitas partes interessadas, incluindo as ONGS. O guia aborda as preocupações sobre a fabricação de cloro, o monômero de cloreto de vinila e o dicloreto de etileno, emissões de dioxinas na produção de PVC, aditivos (chumbo, cádmio, estanho e ftalatos), incêndios acidentais em edifícios, a reciclagem de produtos no final da sua vida útil e os resíduos em aterros.

Publicado originalmente em 2010, as diretrizes foram atualizadas em 2013 para incluir mais detalhes sobre as referências de emissões de monômeros de cloreto de vinila (VCM). Cobrem todo o ciclo de vida do produto, incluindo a produção de materiais, a formulação de PVC em produtos de vinil e o gerenciamento do fim da vida útil.

É importante ter em mente que a Green Star não certifica os produtos de PVC de acordo com as melhores práticas, porém as instalações individuais podem ser auditadas para verificar sua conformidade. Como o LEED, o Green Star permite que produtos que atendam às diretrizes contribuam para um crédito. O LVT e backings GlasBac® e GlasBacRE da Interface estão em conformidade com as melhores práticas de manuseio de PVC da Green Star.

Evidentemente, todo material tem suas vantagens e desvantagens, e atender às diretrizes da Green Star não significa que o PVC seja 100% sustentável. Apesar dos esforços como as listas vermelhas, o uso de PVC continua a crescer. Nos revestimentos de pisos, isso tem se manifestado no crescimento explosivo do LVT. Adotamos a medida incomum de aplicar um padrão australiano à nossa cadeia de suprimentos global, porque esse é o único padrão abrangente e independente para as melhores práticas de PVC existentes atualmente no mundo, e incentivamos outros a fazer o mesmo.

À medida que avançamos para 2020 e mudamos para insumos totalmente reciclados ou de origem biológica, sempre nos esforçamos para garantir que os materiais e as práticas de hoje atendam aos mais elevados padrões disponíveis.

Artigos Relacionados