Materiais no design

Uma entrevista com Kari Pei, designer de produtos

"Louis Kahn disse a seus estudantes que buscarão seus materiais para se inspirar no design. O arquiteto modernista poderia expressar este conselho como um diálogo hipotético: “Disse a um tijolo,?“ O que você quer tijolo? E o tijolo lhe disse, ´Eu gosto de um arco?. E disse ao tijolo,‘ Olha, eu quero um também, mas os arcos são caros e posso usar um dintel de concreto.’ E depois você disse: ‘ O que você pensa sobre isso tijolo?’ Tijolo disse: ‘ Eu gosto de um arco.

As citações de Kahn se transformaram em uma forma abreviada de se referir à honestidade nas seleções de materiais. E enquanto ele queria que um edifício seguisse seus materiais escolheus’ traços inerentes, ao longo de sua carreira, designer de produtos globais da Interface Kari Pei descobriu que certos especificiadores de interiores tomaram esse princípio em uma direção diferente. Perseguem a honestidade em seu trabalho, evitando materiais que imitem outros materiais.

Então, quando a Interface lançou LVT em princípios de 2017, Pei se deu conta de que tinha que buscar duas estratégias. Em primeiro lugar, precisava acumular um inventário de elementos básicos de vestuário e tapetes com designes de madeira e cimento polido. Em segundo lugar, Pei decidiu projetar padrões LVT que saciaria aos que buscam por honestidade. “ Precisa ter um mosaico que não pode se parecer com nenhum outro; disse a designer que acaba de completar o Drawn Lines coleção de LVT.

Pie começou a esclarecer uma visão alternativa da Interface em duas coleções globais anteriores. Con Boundary Metallics , queriamos fazer algo que fosse orgânico mas que não parecesse madeira, cimento ou pedra, e rdquo; por exemplo, e os resultados se assemelhassem ao piso belamente desordenado do estúdio de um artista. Entretanto, para Studio Set , Pei reduziu o contraste de cor nos cilindros de impressão com estampado de madeira para que esses azulejos parecessem mais com uma lavagem de cor com um padrão orgânico sutil embaixo. Se estiver criando qualquer tipo de produto, você quer que as pessoas tenham algum tipo de conexão emocional com eles, a designer diz a respeito da experiência de desenvolvimento de produtos.  Já se tratando de uma escova de dentes, uma cadeira ou um piso, quer que sejam sentidos de alguma maneira.

Pei concebeu Drawn Lines como uma resposta a outro padrão de imitação amplamente usado e texturas de tecido. Enquanto que as linhas da nova coleção são mais geométricas do que a urdidura e a trama da tela, Pei manipulou os cilindros de impressão para que as linhas de um ponto se desvaneçam de forma diferente em cada rolo, o que cria movimento e suavidade assim como um sentido de profundidade superficial. Essa graduação permite à Drawn Lines se afastar mais da mera replicação da tela de tecido, acrescenta Pei, porque "se comporta como o cimento sem mascarar-se como esse"

A estética de Drawn Lines também tem uma recompensa funcional, já que o padrão pode ocultar com destreza a marca de desgaste ocasial, e Pei está emocionada de ver como a coleção pode ser aplicada a espaços de alto tráfego como interiores de educação, onde, de acordo com a pesquisa publicada em Building and the Environment , o exclente design da sala de aula tem um 25 por cento de impacto positivo nos estudantes e família da Intergace em geral, porque as novas fichas tem o mesmo respaldo que outras linhas de produtos e não requerem faixas de transição. Concebemos LVT como parte de um sistema integrado, fazendo que o design e a instalação sejam um processo muito mais uniforme.

Artigos relacionados