Além de Paris

Em dezembro passado, os delegados da conversa do clima COP21 em Paris chegaram a um ponto crítico significativo no esforço para limitar as emissões de carbono. Após uma série de longas e intensas reuniões, 196 países concordaram unanimemente que o aquecimento global era uma ameaça à humanidade e concordaram em limitar as emissões de modo a não ultrapassar um aumento da temperatura global de 1,5 °C. 

Um longo caminho pela frente

Mas, enquanto o acordo de Paris foi um divisor de águas no que diz respeito ao combate às alterações climáticas e representa um passo positivo, houve uma falha notável: Nenhum país chegou ou ou foi embora com um plano para alcançar a meta. Países ofereceram reduções voluntárias, chamadas de Contribuições Destinadas a Nível Nacional (INDC). Mas promessas não são um plano.

Isto não é para rebaixar o acordo de Paris; se for realizado, será possível atingir cortes maiores nas emissões do que qualquer acordo global sobre o clima anterior. No entanto, os cortes podem ser comparados a desacelerar um veículo for de controle - haverá um eventual acidente, apenas a uma velocidade menor. O mundo precisa parar o carro completamente. O mundo precisa de mais de limitações. Precisamos não só parar com as emissões, mas trabalhar ativamente para retirar carbono da atmosfera. Precisamos declarar uma nova meta de abaixamento de carvão ativo.

Como a Missão Zero, estabelecemos metas audaciosas, porque sabemos que é a coisa certa a se fazer. E se existe algum momento na história em que fomos chamados a ir além, este momento é agora.

Liderando pelo exemplo

Vários de nós na Interface estavam em Paris, compartilhando a história de nossa empresa e defendendo a adoção de um acordo final. Para Interface, o acordo de Paris é uma afirmação da nossa própria missão Zero® e os nossos esforços para reduzir o carbono no nosso negócio. Temos conseguido reduções enormes ao longo de 22 anos, com uma chamada à ação para fazer mais e continuar a liderar o caminho para as empresas e outros.

Até à data, as nossas realizações incluem:

  • Reduzir as nossas emissões globais de GEE em 92% desde 1996
  • Usar 84% de energia renovável em todo o mundo
  • Reduzir a pegada de carbono dos nossos produtos em 50% desde 1997, com o objetivo de uma redução da pegada de 85% em 2020

As empresas devem liderar, e os nossos esforços são um exemplo de que é possível ser bem sucedido além de reduzir drasticamente as emissões de carbono.

Qual é o próximo passo: de negativo para positivo

Temos orgulho de nossas realizações até hoje e agora é hora de dar os próximos passos na nossa jornada de sustentabilidade deste ano: “Estamos fazendo a mudança de “nenhum dano” para fazer “algo de bom”“.

Como estamos perto o nosso marco 2020 e no final da Missão Zero, ainda estamos empenhados em alcançar aquela pegada zero, mas nós estamos olhando além e nos comprometendo com uma abordagem mais ousada. Nós percebemos que a paegada zero - nenhum dano -já não é suficiente. No contexto do carbono, isso significa não apenas reduzir as emissões de carbono, mas a trabalhar ativamente para tirar o carbono da atmosfera através de nossas operações e produtos. Precisamos de "trazer o carbono de volta."

Chamada para Ação

Para garantir um planeta que vai sustentar a vida biológica que conhecemos e de quem dependemos, teremos de ir além da COP21 e começar a retirar carbono do ambiente. Interface tem uma oportunidade de ter uma influência significativa sobre como alterar a conversa e a ação em torno do carbono. Dada a nossa reconhecida liderança e histórico de sucesso, essa mudança na percepção de mundo nos traz a obrigação de defender de forma mais ampla e corajosamente os nossos objetivos de 2020 e ir além.

Vamos lembrar os desafios que enfrentamos como um planeta. Os mares estão morrendo. Secas e inundações são abundantes. Os refugiados do clima estão aumentando em número. Os oceanos estão subindo. Estes eventos e outros irão aumentar a menos que estejamos empenhados em reverter a mudança climática. Interface agora está empenhada em ações que irão reverter a espiral descendente de aumento dos gases de efeito estufa na atmosfera em nossas fábricas, produtos e processos. Este compromisso é ainda inédito no mundo dos negócios.

Como Missão Zero, estabelecemos metas audaciosas, porque é a coisa certa a fazer. E se alguma vez houve um momento na história em que somos chamados a ir acima e além, é agora.

Não podemos enfrentar o nosso próximo desafio sozinho; ele vai exigir pensamento inovador e colaboração de muitos de nós, mas estamos otimistas de que podemos fazer uma mudança verdadeiramente impactante, se fizermos isso juntos.

Artigos Relacionados